5 revelações de Star Wars: Catalyst, o livro prequel de Rogue One

maxresdefault-50Faltando menos de um mês para a estreia de Rogue One: Uma História Star Wars, a editora americana Del Rey lançou nessa semana Catalyst: A Rogue One Novel, livro focado em Galen e Lyra Erso, pais de Jyn Erso, personagem principal do filme.

Além de contar mais sobre o passado dos personagens e seus problemas nas mãos do Império, o livro traz informações reveladores para o cânone da saga e que dão uma ideia de o que esperar em Rogue One. Separamos as cinco mais importantes, a seguir. Atenção: ESSE POST CONTÉM SPOILERS!

1) A Estrela da Morte começou a ser construída pela República, não pelo Império, e levou quase 23 anos para ficar pronta

Construction_of_the_Death_Star

Depois de Conde Dooku entregar os planos para Darth Sidious, ele os usou para causar medo utilizando o discurso de que os Separatistas estavam construindo uma super-arma e que a República precisava construir uma versão própria primeiro para combatê-los. Com a transição de República para Império, o governo continuou sua construção.

Porém sua construção não foi tão simples assim. Como sabemos, a Estrela da Morte só ficou completamente operacional durante os eventos de Uma Nova Esperança. O livro confirma que a estação bélica começou a ser construída menos de um ano depois da Batalha de Geonosis, que ocorre em Ataque dos Clones, ou seja, 23 anos antes da trilogia clássica.

2) Galen Erso era um pesquisador de cristais kyber

Trailer-terakhir-Rogue-One-Galen-Erso

Os trailers de Rogue One já haviam sugerido uma ligação de Galen com o desenvolvimento da Estrela da Morte, porém o livro deixa claro o desenrolar desse envolvimento.

Na verdade, Galen é especialista em cristais kyber, sua motivação em manipulá-los era prover energia barata para planetas em desenvolvimento, porém esses mesmos cristais também eram a fonte de energia para o raio da Estrela da Morte, o que desperta no Império um grande interesse pelo seu trabalho.

3) Jyn Erso nasceu no primeiro ano das Guerras Clônicas

Rogue-One-A-Star-Wars-Story-Trailer-3-Young-Jyn-hiding1

Já se imaginava que de fato Jyn havia nascido durante o período das Guerras Clônicas, porém agora temos uma confirmação oficial do exato ano. Fazendo então os cálculos, Jyn tem oficialmente 20 ou 21 anos durante os acontecimentos de Rogue One.

4) Saw Gerrera ajudou Galen Erso a escapar de Coruscant

Screenshot-38

Ao tomar conhecimento que o Império estava utilizando seu trabalho para alimentar uma estação bélica de destruição, Galen e Lyra decidem fugir de Coruscant com a ajuda de Saw Gerrera, uma espécie de mentor que aparece no primeiro trailer de Rogue One. Ao se despedir dos Ersos depois da fuga, Saw dá ao casal um comunicador caso eles precisem novamente de ajuda.

Sabendo que o Império conseguiu levar o casal novamente para Coruscant quando Jyn era criança e que Jyn, segundo Mon Mothma, vaga sozinha pelo universo desde os 15 anos de idade, é muito provável que Saw tenha criado a garota por um bom tempo.

5) Lyra, mãe de Jyn Erso, é sensitiva à Força

rogue-one-international-trailer-shows-off-lyra-erso.png

Na saga Star Wars, sempre que falamos em personagens sensitivos à Força, vem à mente dos fãs a ideia de um Jedi ou um Sith, porém a relação de Lyra Erso com a Força é muito mais conectada ao lado religioso e moral.

No início do sexto capítulo, o livro revela que o envolvimento de Lyra com a Força evoluiu a partir do amor pela natureza e pela filosofia da generosidade, compaixão e paz. Embora ela não consiga utilizar a Força, ela consegue sentí-la e que se contenta com isso.jyn-rogue-one-story-gallery-an1-ff-000077_342ca518Rogue One: Uma História Star Wars estreia em 15 de dezembro.


Topo